terça-feira, 13 de agosto de 2013

'Se forem culpados, serão excluídos', diz comando sobre PMs presos no RN

Operação Hecatombe foi deflagrada nesta terça (6) pela Polícia Federal.
Segundo comandante, PM abrirá processo administrativo contra policiais.

Igor JácomeDo G1 RN
7 comentários
Coronel Francisco Araújo, comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (Foto: Ricardo Araújo/G1)Coronel Francisco Araújo, comandante geral da PM
(Foto: Ricardo Araújo/G1)
Policiais militares presos pela Polícia Federal entre a madrugada e a manhã desta terça-feira (6) na Grande Natal devem ser expulsos da corporação, caso os crimes de que são suspeitos sejam comprovados. A informação foi confirmada pelo comandante da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Canindé e Araújo Silva. “Serão abertos processos administrativos contra eles para que isso seja apurado”, afirmou.
A operação, denominada Hecatombe - em referência ao sacrifício coletivo de muitas vítimas - foi deflagrada na madrugada desta terça. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal, 21 mandados de prisão, 32 de busca e apreensão e nove de condução coercitiva - quando a pessoa é levada para prestar depoimento – foram cumpridos. O comandante afirmou que a Polícia Militar não sabe quem são os presos.
A PM deverá solicitar documentos para abrir o processo administrativo. “Nós vamos solicitar cópias da representação do delegado e cópias dos mandados. Em posse desses documentos, os processos administrativos serão instaurados”, revelou Francisco Araújo.
Os policiais que tiverem menos de dez anos sofrerão um processo administrativo o disciplinar. Os que tiverem mais de uma década na corporação passarão pelo Conselho de Disciplina. “Na PM eles responderão administrativamente. Seus atos serão julgados pela Justiça”, concluiu.
Hecatombe
Operação foi deflagrada na madrugada desta terça-feira (6) (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)Operação foi deflagrada na madrugada desta
terça (6) (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)
A Polícia Federal realizou uma operação nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (6) com o objetivo de desarticular um grupo de extermínio composto por policiais militares e civis suspeitos de crimes de homicídio na Grande Natal.
A operação abrange os municipios de São Gonçalo do AmaranteParnamirim e Cerro Corá. Ao todo, participaram da ação 215 policiais federais, sendo que 30 deles são do Comando de Operações Táticas Especializado em Operações de Alto Risco, de Brasília.
Segundo a Polícia Federal, as investigações encontraram provas do envolvimento do grupo de extermínio em 22 homicídios consumados e em outras cinco tentativas de assassinato.
Ainda de acordo com a polícia, os motivos das execuções eram os mais variados e iam desde crimes encomendados, disputas pelo controle de pontos de venda de drogas, brigas, discussões e até mesmo a queima de arquivo com a eliminação das testemunhas dos crimes.
Alguns dos investigados possuem antecedentes por homicídio. Um dos suspeitos já foi preso em posse de diversas armas de fogo, supostamente utilizadas nos assassinatos.
Todos os presos devem responder por crimes de homicídio qualificado praticado por grupos de extermínio e constituição de grupo de extermínio. As penas máximas dos crimes cometidos pelos principais integrantes do grupo podem chegar a 395 anos de prisão.
A operação contou com o apoio da Coordenação de Inteligência da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social do RN.

'Nunca matei', diz PM suspeito de integrar grupo de extermínio no RN

Soldado Rosivaldo Azevedo se entregou à Polícia Federal nesta terça (13). 
Ele teve mandado de prisão expedido durante a operação 'Hecatombe'.

e agora
Policial militar Rosivaldo Fernandes é suspeito de participar de grupo de extermínio. Ele e o advogado concenderam entrevista ao G1 à Inter TV Cabugi no RN (Foto: Anderson Barbosa/G1)Rosivaldo Fernandes (de boné) se entregou à PF
nesta terça-feira (Foto: Anderson Barbosa/G1)
O soldado da Polícia Militar do Rio Grande do Norte Rosivaldo Azevedo Maciel Fernandes, que há três anos foi reformado por apresentar problemas psicológicos, se entregou na manhã desta terça-feira (13) à Polícia Federal. Ele é suspeito de integrar um suposto grupo de extermínio apontado como responsável por mais de 20 assassinatos na Grande Natal. O policial teve mandado de prisão expedido no início do mês pela juíza Denise Léa Sacramento Aquino, da comarca de São Gonçalo do Amarante, e era considerado foragido desde o último dia 6, quando a PF deflagrou a operação 'Hecatombe' – uma referência ao sacrifício coletivo de muitas vítimas. Dos 18 suspeitos presos até agora, oito são policiais militares. Três pessoas, incluindo mais um PM, ainda são procuradas.
Antes de se entregar, no entanto, o policial concedeu entrevista ao G1. “Nunca matei ninguém”, disse ele, negando as acusações. Acompanhado do advogado Marcus Alânio Martins Vaz, Rosivaldo disse que vem sendo vítima de perseguições desde quando foi preso pela primeira vez. Ele e Wendell Fagner Cortez, que também é soldado da PM, foram presos em abril suspeitos de matar um jovem de 24 anos na cidade de Afonso Bezerra, que fica a 168 quilômetros da capital potiguar. O crime aconteceu na noite de 23 de março. Rosivaldo foi solto por força de uma liminar no dia 19 de maio.
"Eu me sinto envergonhado, fraco e injustiçado pelas acusações que estão atribuindo a mim, principalmente com relação a essa história de que eu e Wendell estaríamos planejando matar uma delegada da Polícia Civil, um promotor de Justiça e um agente da Polícia Federal”, defendeu-se.
O advogado Marcus Alânio disse que vai entrar com um pedido de revogação da prisão de Rosivaldo. "Isso porque não há indícios ou qualquer materialidade de que o meu cliente tenha participado de qualquer crime. Ele é inocente e vamos provar isso", falou.
O soldado Wendell, que permaneceu preso, teve novo mandado de prisão expedido durante a operação Hecatombe. Wendell e Rosivaldo são tidos como amigos inseparáveis e são considerados líderes do tal grupo de extermínio. Por meio da advogada Kátia Nunes, Wendell também nega as acusações.
Armas pertenciam a grupo de extermínio desmontado pela operação Hecatombe no RN (Foto: Divulgação/Polícia Federal)Armas apreendidas durante a operação Hecatombe
(Foto: Divulgação/Polícia Federal)
Entenda o caso
A operação Hecatombe foi deflagrada no dia 6 passado para cumprir 21 mandados de prisão e 32 de busca e apreensão. Ainda houve outros nove mandados de condução coercitiva - quando a pessoa é levada para prestar depoimento à força. No total, foram apreendidas 29 armas, entre revólveres, pistolas, espingardas e um fuzil. Além disso, mais de onze mil munições também foram encontradas.
A operação foi realizada nos municipios de Natal, São Gonçalo do Amarante, Parnamirim e Cerro Corá. Ao todo, participaram da ação 215 policiais federais, sendo que 30 deles são do Comando de Operações Táticas Especializado em Operações de Alto Risco, de Brasília.
Alguns dos investigados possuem antecedentes por homicídio. Um dos suspeitos já foi preso em posse de diversas armas de fogo, supostamente utilizadas nos assassinatos.
Todos os presos devem responder por crimes de homicídio qualificado praticado por grupos de extermínio e constituição de grupo de extermínio. As penas máximas dos crimes cometidos pelos principais integrantes do grupo podem chegar a 395 anos de prisão.
A operação contou com o apoio da Coordenação de Inteligência da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social do RN.
Operação foi deflagrada na madrugada desta terça-feira (6) (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)Operação Hecatombe foi deflagrada na madrugada da terça, dia 6 (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)

domingo, 11 de agosto de 2013

Notícia que deve servir de exemplo à outros muitos policiais militares


Sou 2º Sgt PM da PMMG. Durante 11 anos fui comandante de um destacamento no sul de minas. Nos últimos 2 anos no comando passei a sofrer com inúmeras denúncias, das mais variadas possíveis, imputando-me condutas graves e despidas de fundamento jurídico  todas encaminhadas ao conhecimento do Governador do Estado, Comandante Geral da PMMG, Comissão de DH da OAB, Ouvidoria do Ministério Público de MG, Juiz corregedor do Tribunal de Justiça militar de MG, Procurador Geral de Justiça e Polícia Civil de MG. Todas as denúncias foram apuradas por Oficiais da PMMG. Todas ela foram arquivadas, tanto da esfera administrativa e criminal. Passei por maus momentos e problemas de saúde, tenho casa própria financiada , minha esposa trabalha naquela cidade, meus filhos estudam lá, mas fui transferido de cidade e hoje trabalho em outro  Pelotão PM . Procurei ajuda do advogado Dr. Ruben Arimatéia Ribeiro (policial reformado) e levamos o caso à Justiça. Restou provado  nos autos que o réu S. F. F., prevalecendo da qualidade de Presidente da xxª Subseção da OAB - Minas Gerais e irmão do Prefeito , orquestrou uma verdadeira campanha para afastar me do comando da Polícia Militar da cidade que resido, provavelmente pelo inconformismo com minha atuação funcional rigorosa e impessoal, aplicando as regras legais indistintamente e desconhecendo as relações de poder existentes na cidade .
O réu desrespeitou os bons costumes, que atua como limite externo ao exercício dos direitos subjetivos, sendo reconhecida a ilicitude de sua conduta pelo Juiz da Comarca . Por fim, o Réu S. F. F. foi condenado a pagar R$100.000,00 a título de danos morais, corrigido monetariamente em 1º/ ao mês a partir de dezembro de 2010 e pagamento de honorários advocatícios de sucumbência fixados em 20º/ sobre o valor da condenação.
Que isso sirva de incentivo para que muitos militares não abaixem a cabeça para qualquer um. Procurem seus direitos na Justiça, porque a Justiça não passa a mão na cabeça de ninguém  mesmo daqueles que se acham poderosos e tenham influência politica.
O processo pode ser consultado  - NUMERAÇÃO ÚNICA: 0026811-62.2011.8.13.0878.

Morte de família de policiais em SP: fotos da cena do crime são divulgadas


Fotos dos corpos da família  de policiais morta em SP:
polícia diz que filho é o principal suspeito do crime

R7

Imagens tiradas na casa onde a família de policiais militares foi encontrada morta, na Brasilândia, zona norte de São Paulo, foram divulgadas para a imprensa na última quinta-feira (8). As fotos mostram como os corpos foram encontrados no local e confirmam as informações passadas pela polícia de que Luis Eduardo Pesseghini foi morto deitado e Andreia Pesseghini estava ajoelhada na hora do crime. 
A polícia diz que é quase certa a versão de que o adolescente matou os pais, a avó e a tia-avó, entre o fim da noite de domingo (4) e a madrugada de segunda-feira (5) — quando os corpos foram encontrados —, foi à aula com o carro da mãe e se matou no começo da tarde, quando retornou para casa, de carona com um amigo. 
Um laudo preliminar do IC (Instituto de Criminalística) indica que quatro pessoas mortas — pai, mãe, avó e tia-avó — estariam dopadas. A informação foi passada por fontes da TV Record. Além dessas vítimas, o filho do casal de 13 anos também morreu. A polícia afirma que o garoto é o principal suspeito do crime. 
Uma análise feita pelo IC no computador que estava na casa das vítimas também indica que, dias antes do crime, alguém pesquisou como dopar pessoas e como conseguir um sono profundo. 

Morre jovem transferido de helicóptero em estado grave de Caicó para Parnamirim, na última sexta-feira, (09)

P1
Todo o esforço feito na ultima sexta-feira que contou inclusive com a vinda do helicóptero Potiguar 1 para a cidade de Caicó infelizmente não foi suficiente para salvar a vida do Jovem Rafael da Silva Brito, 23 Anos, residente na cidade de São Fernando.

O jovem Rafael não resistiu aos males da doença  e veio a óbito na madrugada deste domingo na UTI do Hospital Regional Deoclécio Marques na cidade de Parnamirim região da grande Natal.

Rafael estava acometido de uma pancreatite aguda e com a piora no seu quadro de saúde precisou ser transferido as pressas para uma UTI mais equipada e esta transferência se deu em uma grande operação que contou com a participação do Helicóptero Potiguar 1,  SAMU, Corpo de Bombeiros e Policia Militar

Blog de Eduardo Dantas

PRF vai flexibilizar fiscalização na Av. Coronel Martiniano em Caicó


A Polícia Rodoviária Federal deverá flexibilizar a fiscalização do trecho urbano da BR 427 que corta a cidade de Caicó, mais especificamente a área comercial do Centro.

Os carros poderão ser estacionados na avenida Coronel Martiniano, mas os agentes da PRF continuarão observando a distância correta entre os carros e guia da calçada (meio-fio), cinco metros de distância das esquinas e até mesmo o posicionamento perpendicular à calçada para as motocicletas, conforme preveem os artigos 48 e 181 do Código de Trânsito Brasileiro.

A situação deve ser de fato regularizada quando ocorrer a inauguração do contorno rodoviário, em setembro, que passará a vigorar no mapa como BR 427. Com isso, a avenida Coronel Martiniano será estadualizada ou mesmo municipalizada, caso a prefeitura avance no processo de gestão do trânsito de Caicó

Rádio Rural de Caicó

Sai edital para concurso com 259 vagas no MPU

Fonte:http://www.vcartigosenoticias.com/2013/08/sai-edital-para-concurso-com-259-vagas.html
O Ministério Público da União divulgou na sexta-feira, 9 de agosto de 2013, o edital de abertura do 8º Concurso Público para Técnico e Analista do MPU. São 259 vagas distribuídas entre diversas áreas e especialidades 

CONFIRA

8º Concurso MPU – Banca CESPE – PROVAS dia 06/10

ANALISTA DO MPU REMUNERAÇÃO: R$ 7.506,54
TÉCNICO DO MPU – REMUNERAÇÃO: R$ 4.575,15.

Taxas e inscrições:
Analista do MPU: R$ 80,00;
Técnico do MPU: R$ 60,00.
Será admitida a inscrição somente via internet, no endereço eletrônicohttp://www.cespe.unb.br/concursos/mpu_13_2, solicitada no período entre 10 horas do dia 16 de agosto de 2013 e 23 horas e 59 minutos do dia 25 de agosto de 2013, observado o horário oficial de Brasília/DF.

OBS: há formas de isenções !

Provas dia 06/10
Manhã: Analista.
Tarde: Técnico.

Conteúdo programático e edital completo:

http://www.cespe.unb.br//concursos/mpu_13_2/arquivos/ED_1_2013_MPU_13_2_ABERTURA.PDF

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Major Fábio confirma marchas estaduais em defesa da PEC 300

Major Fábio confirma marchas estaduais em defesa da PEC 300
 A defesa pela criação do piso nacional salarial para os policias e bombeiros, a chamada PEC 300, foi tema de mais um discurso do deputado federal Major Fábio (DEM-PB) na tribuna da Câmara dos Deputados.

O parlamentar cobrou a promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff e comunicou a realização da grande mobilização nacional em Brasília e a organização de vários movimentos estaduais em defesa do piso nacional para a categoria.

No próximo dia 15, em Pernambuco, milhares de policiais, bombeiros e seus familiares realizarão a Marcha pela PEC 300, com concentração na Praça do Derby, no Recife.

“Vou participar ao lado dos companheiros pernambucanos e dos seus familiares nesta que será uma grande marcha em defesa da aprovação do 2º turno da PEC 300”, confirmou o Major.

-Alguns estão dizendo que existem governadores que são contra. Quero saber a posição do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, sobre a criação do piso nacional. A mídia nacional o coloca como candidato a Presidência. Então nossa categoria quer saber quem é contra e quem é a favor da PEC 300?, questionou o deputado.

O parlamentar reforçou ainda a realização nos dias 20 e 21 deste mês da mobilização nacional em Brasília. “Estaremos aqui em Brasília, pois os policiais militares e bombeiros militares do Brasil querem um piso nacional. Enquanto muitas vezes se discute nesta Casa o aumento do teto do funcionalismo público, nossos agentes da segurança pública, os nossos heróis, pedem um piso salarial”, discursou.

Guardas Municipais

No seu pronunciamento o Major Fábio reforçou a necessidade de regulamentação das atividades dos guardas municipais. “Nós precisamos votar hoje a regulamentação das atividades das Guardas Municipais, que colaboram, que são importantíssimas no combate da criminalidade, da violência do nosso País”, finalizou.
Fonte: http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20130808081900&cat=politica&keys=major-fabio-confirma-marchas-estaduais-defesa-pec

SINPOL DIZ QUE BOLETINS REGISTRADOS PELA PM NÃO SERÃO INVESTIGADOS

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) reagiu e informou que os boletins não serão investigados posteriormente se forem feitos por policiais militares. “Isso é ilegal, pois é atribuição da Polícia Civil. Não vamos investigar a partir desses boletins. Na nossa concepção o documento é nulo”, afirma o presidente do sindicato, Djair Oliveira. De acordo com ele, para serem investigados, os boletins precisarão ser refeitos. O Sinpol promete entrar na Justiça
Fonte: http://heronidesmangabeira.com/

COM RN EM CRISE, PM NÃO TERÁ AUMENTO DO EFETIVO “PORQUE NÃO HÁ COMO PAGAR”

Uma preocupação social – e um dos principais motivos da desaprovação do Governo Rosalba Ciarlini – a segurança pública vai ter que otimizar seu efetivo se quiser aumentar o trabalho ostensivo. Foi isso que deixou bem claro o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Araújo Silva, no início da noite de hoje (8), em entrevista a uma rádio de Natal, ao ressaltar que o Executivo não tem recursos para aumentar o número de policiais da corporação.
“Hoje não há condição de convocar (novos policiais), porque não há condição de pagar”, afirmou o comandante-geral, ressaltando que, neste momento, a PM está tendo que pagar diárias operacionais para fazer ações patrulhamento pela Grande Natal, sobretudo, aquelas com o objetivo de evitar assaltos a ônibus.
O problema é que as declarações de coronel Araújo vão de encontro a expectativa social que se criou em torno do aumento do efetivo das corporações que compõem a segurança pública local – Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Técnica-Científica de Polícia e Corpo de Bombeiros Militar. Afinal, o próprio secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Aldair da Rocha, afirmou em maio deste ano que o Estado vivia a expectativa do aumento de homens nessas forças com a adesão ao programa federal “Brasil Mais Seguro”.
“Essa discussão (se há necessidade de aumento de efetivo) praticamente não existe. Há necessidade, ela é urgente e já constatada. Nós temos uma necessidade muito grande de técnicos, peritos, na nossa política técnica, e de polícia judiciária também. Para melhorar a investigação, você precisa melhorar também a polícia técnica e os outros setores vão caminhando junto também”, afirmou Aldair da Rocha em maio.
Antes disso, mais precisamente no final do ano passado, quando a governadora do Estado, Rosalba Ciarlini, participou da formatura de novos oficiais da Polícia Militar, ela mesma fez questão de anunciar que em 2013 seria realizado o tão esperado novo concurso para a corporação.
Porém, apesar das expectativas de meses anteriores, o que se ressalta agora é a crise econômica do Governo, que fez o próprio coronel Araújo descartar a possibilidade de aumento do efetivo. Nessa situação, vale lembrar, a PM tem um déficit de quatro mil homens nos 13 mil cargos existentes. Ou seja: quase um terço da corporação está com vagas abertas. E talvez isso explique a sensação de insegurança de muitos potiguares.
Fonte: http://heronidesmangabeira.com/?p=2136#more-2136
PORTAL NO AR

COMUNICADO APBMS

http://3.bp.blogspot.com/-Q2pw3nI4_2M/TgNMPecwiDI/AAAAAAAAAwk/DdIn9kC-wjU/s1600/APBMS.png
 
COMUNICADO

Associação dos Praças da Polícia e Bombeiros Militares do Seridó/RN, Comunica que dia 23/08/2013, acontecerá uma mobilização em natal em prol da Lei de Promoção de Praças interessados informar o nome na sede da APBMS e confirmar 3 (três) dias antes nos telefones de contato (84) 3417-1700/9921-1033. Para podermos planejar o transporte para quem desejar participar da referida mobilização.

Caicó/RN, 09 de agosto de 2013.

Atenciosamente:
Direção da APBMS

Corregedoria apura tortura em soldado da PM de MT

policianamira_thumb_medium380_238
Gláucio Nogueira, repórter do GD
 Um soldado da Polícia Militar de Mato Grosso registrou boletim de ocorrência contra 3 oficiais pelos crimes de maus-tratos, tortura, ameaça e constrangimento ilegal. Ele teria ficado trancado por uma hora em uma sala do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), em Cuiabá, e só saiu de lá após ouvir de um dos policiais que ele seria enquadrado por insubordinação. O caso foi registrado nesta terça-feira (7) no momento em que o soldado, lotado no 4º Batalhão, levava marmitas para colegas em curso.
De acordo com o boletim, registrado pelo soldado J.L.S., 23, os ataques começaram após um dos oficiais, identificado como major Guimarães, ter notado que no fardamento do praça faltavam o gorro e a placa de identificação. “Antes que eu pudesse explicar que a situação já havia sido passada ao meu superior imediato, ele começou a gritar”. Guimarães teria dito, “se enquadra, guerreiro! Se na sua unidade não tem disciplina, aqui tem”.
Instantes após a confusão, ao perceber que o soldado portava uma caneta com gravador de som e imagem, segundo ele usada para registrar abordagens no trabalho nas ruas, foi levado por Guimarães para uma sala e novamente ameaçado. Por quase uma hora, o soldado ouviu xingamentos, ameaças e era assediado moralmente. “Diziam que não era para gravá-los”.
Em companhia de outros 2 policiais, qualificados no boletim como capitão Ferraz e tenente Coneza, Guimarães apagou todo o conteúdo armazenado na caneta e teria exigido um pedido de perdão para liberá-lo da sala. A situação foi presenciada por um outro praça, que acompanhava J..
Para o sociólogo e coordenador do Núcleo Internsitucional de Estudos da Violência e Cidadania (Nievci), Naldson Ramos, o soldado foi vítima de um episódio lamentável. “Isso é um sinal claro da existência de um resquício de militarismo, em que a hierarquia e a disciplina estão à frente da dignidade humana, quando o que deveria ocorrer era justamente o contrário”.
Tão grave quanto às ameaças e o assédio, na opinião de Ramos, é o fato de que este comportamento, que ocorre com certa frequência, pode se reproduzir nas ruas. “Ao abordar um suspeito, um policial alvo deste tipo de crime, pode se sentir superior e humilhar o cidadão abordado”.
Outro lado - Por meio da assessoria, a Corregedoria da PM informa que ainda não recebeu a documentação, mas irá analisar e investigar o caso.
Fontehttp://policialdopovo.com/2013/08/09/corregedoria-apura-tortura-em-soldado-da-pm-de-mt/:

Em greve, policiais civis do RN protestam em frente à Governadoria...

Policiais levaram cruzes e um caixão para a governadoria.

Greve começou na última terça-feira (6).

Do G1 RN
 
Policias Civis protestam em frente à Governadoria (Foto: Jorge Talmon/G1)Policias Civis protestam em frente à Governadoria (Foto: Jorge Talmon/G1)

Os policiais civis do Rio Grande do Norte, que estão em greve desde a última terça-feira (6), saíram em carreata, na manhã desta sexta-feira (9), da sede do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), até a Governadoria, no Centro Administrativo. Os policiais levaram cruzes e um caixão simbolizando o enterro da segurança pública. A governadora Rosalba Ciarlini não está na Governadoria pois, de acordo com a assessoria de comunicação do governo, cumpre agenda em Mossoró.
Segundo Djair Oliveira, presidente do Sinpol, a pauta da categoria é extensa. “Queremos nomeação e curso de formação dos aprovados no último concurso, que vem se arrastando desde 2008; vale refeição para os agentes; serviço terceirizado de limpeza das delegacias, que muitas vezes fica a cargo dos próprios policiais; retirada de presos das delegacias; melhoria das condições de trabalho, como armamento, informatização e melhor comunicação entre as delegacias e reajuste salarial. Somos uma polícia de nível superior recebendo menos que cargos de nível médio. Também queremos reajuste das gratificações de chefes de investigação e chefes de cartório, que trabalham acima das possibilidades pela polícia”, afirmou.
Por causa da greve, o governo do estado orienta a população do estado a registrar boletins de ocorrência para casos de perda ou furto de documentos pessoais e/ou de aparelhos celulares via internet. Os boletins virtuais podem ser feitos no site da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed). O serviço está disponível no link Delegacia Virtual (CLIQUE AQUI).
G1 RN

Protestos de estudantes de Caicó foi pacífico nas ruas, mas, contou com atos de vandalismos na 10ª Dired

Fonte: http://www.vcartigosenoticias.com/2013/08/protestos-de-estudantes-nas-ruas-de.html
Alunos da Rede estadual de ensino de três colégios de Caicó (Ceja, Antônio Aladim e EECCAM) fizeram , por volta das 08 horas da manhã de hoje, um protesto contra a falta de professores para disciplinas de Inglês, História, Geografia, Física e Química, entre outras, nas referidas escolas.

Os Alunos também são contra o início da greve da  Educação,que deverá ser deflagrada na próxima segunda-feira (12). Além de estudantes, professores pegaram carona e também participaram do protesto buscando melhorias salariais e melhores condições de trabalho.

Os manifestantes saíram em passeata, cada um de seu colégio, e se concentraram  próximo ao terminal rodoviário onde, de lá, seguiram pela Renato Dantas, Celso Dantas e Coronel Martiniano. A marcha tinha como ponto final  a 10ª DIRED, mas lá, as coisas não ocorreram tão pacificamente.
TUMULTO
A polícia rodoviária estadual  e o GTO acompanharam  de perto o protesto dos estudantes caicoenses, mas houve confusão e supostos atos de vandalismo  dentro do prédio da 10ª Dired. Funcionários reclamam que alguns alunos urinaram nas paredes de banheiros, quebraram tampas de vasos sanitários e secaram os pneus de um fiat Doblô pertencente a 10ª Dired e que estava estacionado no local.

Helicóptero Potiguar 1 se desloca até Caicó em megaoperação para salvar vida de jovem internado no Hospital Regional


A Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap) realiza uma megaoperação na tarde desta sexta-feira (9), para o “resgate” de um jovem identificado como Rafael da Silva Brito, de 23 anos, internado no Hospital Regional de Caicó, com pancreatite aguda, e teve uma piora no quadro nos últimos quatro dias, sendo necessário um atendimento especial na região metropolitana de Natal

Segundo o tenente Christiano Couceiro, do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte, um helicóptero da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social(Sesed) partiu de Natal até Caicó no início desta tarde. No aeroporto local estão posicionados bombeiros da cidade e uma equipe da Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)


A previsão é que o paciente chegue à capital por volta das 16h, e seja encaminhado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim.

Fonte:http://www.vcartigosenoticias.com/2013/08/helicoptero-potiguar-1-se-desloca-ate.html

terça-feira, 6 de agosto de 2013

'A nossa ideia não é reinventar a roda', disse José Luís Castro Menezes. Substituto de Erir Ribeiro anunciou novos nomes de chefes de estado.


'A nossa ideia não é reinventar a roda', disse José Luís Castro Menezes.
Substituto de Erir Ribeiro anunciou novos nomes de chefes de estado.
O secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, concede entrevista coletiva para falar sobre a escolha do coronel José Luís Castro Menezes como novo comandante da Polícia Militar do Estado do Rio (Foto: Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo)
O coronel José Luís Castro Menezes, do 1º Comando de Policiamento de Área (CPA), falou no fim da tarde desta terça-feira (6) pela primeira vez como novo comandante-geral da Polícia Militar, após anúncio feito pouco antes das 17h pela Secretaria de Segurança Pública. Ele disse que irá suspender o ato que concedeu anistia a PMs em caso de infrações leves.
“Vamos suspender esse ato porque a ideia é muito boa, mas nós vamos rever para que possamos estabelecer critérios objetivos visando dirimir qualquer dúvida em relação ao mesmo”, disse Menezes.

O ex-comandante da PM, Erir Ribeiro Costa Filho, havia decidido anistiar todos os policiais que cometeram crimes de "menor potencial ofensivo" desde 2011. O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse na época que não gostou da forma como a proposta foi apresentada.

Plano de segurança mantido
O comandante frisou que algumas mudanças serão feitas, mas que o plano de segurança será mantido. “A nossa ideia não é reinventar a roda. Já existe um planejamento estratégico operacional. E vamos seguir o mesmo. Vamos discutir alguma mudanças, e claro que alguns ajustes deverão ser feitos", afirmou Menezes.

Na entrevista coletiva,que anunciou ainda os nomes dos chefes de Estado Maior Operacional, coronel Paulo Henrique de Morais, e de Estado Maior Admistrativo, coronel Ricardo Pachecho.
Os dois coronéis, ao lado de Jorge Freitas, também eram cotados para o comando da PM, antes a cargo de Erir Ribeiro da Costa Filho, exonerado na segunda (5), após um ano e 10 meses no cargo.
saiba mais
Secretário de Segurança do RJ vai pedir explicações sobre anistia de PMs
PM diz que anistia não inclui os casos cometidos por policiais em protestos
Comandante-geral da PM do RJ, Erir Ribeiro, é exonerado do cargo
Coronel José Luís Castro Menezes é o novo comandante da PM no RJ
Diálogo com manifestantes
O novo Comandante da Polícia Militar comentou ainda a atuação da instituição dos recentes protestos realizados no Rio de Janeiro nos quais policiais militares foram alvos de crítica em relação a supostas arbitrariedades e violência contra manifestantes. O Coronel Luís Castro prometeu estabelecer um diálogo com os manifestantes.

“Nós temos que ressaltar que esse é um movimento muito bonito e desconhecido de nós. Nesse período [que ele está na PM], não tinha presenciado uma articulação de jovens pela internet dessa forma. A cada manifestação tem sido um grande aprendizado e temos buscado a medida certa. Se fizermos uma retrospectiva podemos concluir que a atuação da PM está mudando. Nos quatro últimos protestos não tivemos problemas de conflito entre a polícia e manifestantes e isso tem permitido que a maioria que não deseja violência possa exercer o seu direito de manifestação com segurança”, disse o novo comandante acrescentando que a instituição está aberta para dialogar com os manifestantes.

'Desgaste'
O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, esclareceu que a decisão de trocar o comando da PM partiu do "desgaste" provocado por medidas tomadas pelo ex-comandante, Erir Ribeiro da Costa Filho.

"Nos últimos dois meses, alguns movimentos que ele [Erir Ribeiro] fez [influenciaram a decisão] muito mais pela maneira como foram comunicadas do que efetivamente o conteúdo num momento em que a sociedade exige transparência do estado. Isso gerou um desgaste. Nós chegamos à conclusão que seria melhor para todos a saída dele", disse o secretário.

Sobre o caso do desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza, Beltrame frisou que não vê problema em afastar PMs e até o comandante da UPP da Rocinha, caso seja comprovada a participação de policiais no caso. O secretário afirmou ainda que esta encarando a resolução do caso como uma questão pessoal.

"Quando nós tivermos algo concreto não há problema em afastar ele [comandante da UPP da Rocinha] ou qualquer outra pessoa, mas não podemos agir com base na elucubração. A Polícia Civil está com 25 pessoas [trabalhando] e eu estou imbuído pessoalmente com essa questão. Nós temos que procurar uma resposta e o governo não vai sossegar enquanto isso não acontecer", disse Beltrame.

Na PM desde 1987
José Luís Castro Menezes, graduado em História pela Universidade Gama Filho, entrou na PM em 1987 e é oficial desde 2003, quando concluiu o Curso Superior de Polícia. De acordo com o site da Assembleia Legislativa (Alerj), em 14 de dezembro de 2010 ele recebeu o título de Benemérito do Estado do Rio.

No fim dos anos 1990, foi comandante do Corpo de Alunos e representante da Secretaria de Segurança Pública no Conselho Estadual de Trânsito. Em 2004, foi subcomandante do Batalhão de Polícia de Transito. No ano seguinte, se tornou subcomandante do 18º Batalhão de Polícia Militar (Jacarepaguá) e assumiu a chefia do Centro de Instrução Especializada em Armamento e Tiro, onde ficou até 2007. Em 2008, foi comandante do 33º BPM (Angra dos Reis) e assumiu, em 2010, a Coordenadoria de Análise Criminal. Atualmente, estava no 1º CPA.
Política mantida
O governador Sérgio Cabral, em nota, garantiu que a política de segurança do Rio de Janeirovai ser mantida, apesar da substituição do comandante-geral da Polícia Militar.

"O secretário Beltrame, da Segurança, escolhe o comandante da PM, a ele hierarquicamente subordinado. O governador tem dito e repetido que delega o comando da Segurança ao secretário Beltrame. O governador deixa claro que a mudança de comando na PM em nada muda a política de pacificação", diz a nota.
"Quero agradecer toda a dedicação, lealdade e seriedade do coronel Costa Filho à causa pública e ao serviço da Segurança Pública em nosso estado. Costa Filho é um exemplo de oficial", disse Cabral em nota.
Durante o fim de semana, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, se disse muito insatisfeito com a medida tomada pelo coronel de anistiar cerca de 450 PMs por crimes administrativos.
Punições, que segundo o coronel, vale apenas para crimes leves, como faltas e atrasos e questões internas. Segundo o coronel, policiais punidos durante as manifestações não foram anistiados. Com a saída de Erir Ribeiro, a decisão sobre o decreto de anistia dos policiais caberá ao novo comandante.
O comentarista de segurança, Rodrigo Pimentel, disse que política de segurança do estado é um projeto do secretário Beltrame. Ele informou ainda que existe um planejamento para implantação de uma Unidade de Polícia Pacificadora na Maré, no Subúrbio do Rio para os próximos dias e que deve sofrer um pequeno atraso por causa da mudança no comando da PM.
“O novo comandante da PM é o executor dessa política. O que pode acontecer é um pequeno atraso da próxima UPP. Uma UPP exige muito planejamento muito acerto com a Polícia Federal, com a Marinha. Isso deve atrasar um pouco”, calcula Pimentel.

Ele disse que a exoneração não foi causada pela anistia, que é uma das atribuições do cargo de comandante-geral. Pimentel destacou que o coronel Erir, ao assumir o posto prometeu fazer uma faxina na PM e foi o oficial que mais afastou policiais por desvio de conduta, mais de 300 PMs.
“Essa punição era administrativa. Mas anistia do jeito que foi feita, chocou a sociedade, com pouca transparência no boletim reservado”, disse o especialista.
Segundo Pimentel, já existia uma mágoa do comandante-geral com o secretário de Segurança Pública e ele já despachava diretamente com o governador Sérgio Cabral. Uma afronta à hierarquia.
“Esse é o quinto comandante da PM na gestão do secretário Beltrame. A quinta tentativa do secretário em seis anos. Ele errou cinco vezes. Já existia um desgaste”, disse o especialista que acredita que o secretário buscará um novo comandante mais próximo a ele e engajado no processo de pacificação da cidade.
Fonte:http://www.blogdarenata.com/2013/08/a-nossa-ideia-nao-e-reinventar-roda.html

Governo publica decreto que estabelece corte de gastos

Por Assecom/RN
O Governo do Estado publica, no Diário Oficial do Estado deste sábado (03), o decreto que estabelece medidas de contenção de despesas públicas no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta Estadual. O decreto oficializa as medidas de cortes de gastos já anunciadas pela governadora Rosalba Ciarlini e definidas em reuniões com o secretariado. É importante ressaltar que outras medidas de contenção e/ou disciplinamento de despesas serão publicadas nos próximos dias.

De acordo com o decreto, fica suspenso, no âmbito dos órgãos e entidades da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Rio Grande do Norte, o empenho de novas despesas cujas dotações orçamentárias sejam vinculadas a recursos de fontes 100 (Recursos Ordinários), 121, 122, 123 e 124 (Royalties), bem como das fontes 150 e 250 (recursos diretamente arrecadados). Ficam vedadas, ainda, as autorizações para viagens e concessão de diárias, ressalvadas situações excepcionalmente motivadas e submetidas à autorização prévia da Chefia do Poder Executivo.

Em um prazo de 30 dias, os órgãos e entidades da Administração Pública Direta e Indireta do Estado devem promover a avaliação e renegociação de contratos, a fim de reduzir em 25% os custos com locação de mão de obra e bens móveis. Já no prazo de 15 dias deverão ser promovidas medidas de desligamento e de restrição de ramais telefônicos, no intuito de reduzir em 50% das despesas mensais com telefonia móvel, fixa e transmissão de dados.

A Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH) também adotará providências para redução das despesas com combustíveis da frota de veículos estaduais, mediante a revisão das cotas de abastecimento, sem prejuízo das ações dos órgãos integrantes das áreas da Segurança, Justiça, Saúde e Educação.

O decreto prevê, ainda, a suspensão por tempo indeterminado da concessão de vantagem, aumento, reajuste, adequação de remuneração a qualquer título e licenças, salvo quando derivados de sentença judicial, determinação legal ou contratual; o provimento de cargo público efetivo, ressalvada a reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores nas áreas de Educação, Saúde e Segurança; a tramitação de processos administrativos que versem sobre a criação de cargo, emprego ou função, alteração de estrutura de carreira que implique aumento de despesa e a criação de vantagem, reajuste ou adequação de remuneração, a qualquer título. Também fica suspensa pelo prazo de 60 dias a expedição de férias por parte dos Titulares dos órgãos.